Psicólogos de 17 países protestam contra governo interino de Temer

Cerca de 100 pessoas de mais de 17 países latinoamericanos se manifestaram na capital da Argentina a favor da democracia no Brasil e nos países da América Latina

protesto buenos airesPsicólogos protestam contra governo ilegítimo de Michel Temer na embaixada do Brasil na Argentina

Profissionais de psicologia, reunidos em Buenos Aires para o VI Congresso Latinoamericano da União Latinoamericana de Psicologia (Ulapsi), realizaram nesta sexta-feira (10) uma manifestação diante da embaixada do Brasil na Argentina. Cerca de 100 pessoas marcharam até o local com palavras de ordem como “Fora Temer” e “Fora Serra”.

“O golpe impede os sujeitos de se tornarem autônomos, de lutarem por melhoras em suas condições de vida”, diz a psicóloga Ana Bock, brasileira, presidente do Instituto Silvia Lane de Psicologia. “Uma saúde psicológica exige democracia.”

Em forte posicionamento, a Ulapsi publicou também a “Carta de Buenos Aires pela paz e estabilidade democrática na América Latina”. Um trecho do documento diz que “se faz evidente a presença da guerra psicológica que gera incertezas, angustia, terror”. De acordo com o texto, os psicólogos e psicólogas reivindicam “independência e autonomia no exercício profissional baseado no rigor científico, ético e com compromisso social”, e condenam “o uso de ferramentas psicológicas para a dominação e o engano”. A carta é assinada por 17 países e mais de 60 entidades de psicologia da América Latina.

protesto buenos aires 2

“A grande pauta conservadora é essa ideia de que a democracia é algo flexível e que não é tão importante”, alerta Rogério Gianini, presidente do Sindicato dos Psicólogos do Estado de São Paulo. “Mas quando se fala em democracia, existe um método democrático, que passa por eleições diretas respeitadas e pela ideia da Constituição que vale para todos o tempo todo, e passa por mais participação.”

No final de maio, a Frente Argentina pela Democracia no Brasil fez um ato com cerca de 500 manifestantes, de acordo com os organizadores. O protesto foi em repúdio à visita do ministro de Relações Exteriores, José Serra, e contra o apoio do presidente Mauricio Macri ao processo antidemocrático no Brasil. Serra foi obrigado a entrar no Palácio San Martin, das Relações Exteriores em Buenos Aires, pela porta dos fundos. Saiu em carro não caracterizado como diplomático.

No dia 12 de maio, quando o Senado Federal brasileiro votou pela abertura do processo de impeachment, a ministra de Relações Exteriores da Argentina, Suzana Malcorra, publicou em sua conta do twitter, apoio ao governo do presidente interino, Michel Temer.

 

protesto buenos aires 3

Maria Carolina Trevisan
Brasileiros